MENSAGENS


Por que no celebramos o Natal - Parte 3

Nesta semana, voc descobrir a origem e o significado dos smbolos do Natal.

- rvores como altares pagos

A rvore de Natal ressuscita um deus pago chamado Ninrode e faz reviver Talmuz. No ocultismo ou nas religies orientais, os espritos dos antepassados so invocados por meio de uma rvore. A rvore de Natal um ponto de contato que os deuses gostam. Os ocultistas creem que as pessoas so energizadas atravs das rvores. Nenhum crente coloca conscientemente em sua casa um trono a Baal. O diabo trabalha com ocultismo, por isso muitas de suas insinuaes so encobertas, ocultas. A Enciclopdia Barsa, vol.11, pg. 274, diz: A rvore de Natal de origem germnica, datando do tempo de So Bonifcio. Foi adotada para substituir os sacrifcios ao carvalho sagrado de Odin, adorando-se uma rvore, em homenagem ao Deus-menino.

A rvore de Natal um smbolo de consagrao, uma fbula de chamamento de adorao a deuses babilnicos. Leia com muita ateno o texto de Jeremias 10:3-4: Porque os costumes dos povos so vaidade; pois cortam do bosque um madeiro, obra das mos de um artfice, com machado; com prata e com ouro o enfeitam, com pregos e martelo o fixam para que no oscile. O restante do captulo mostra a dura exortao que Deus d ao Seu povo, porque trouxe para dentro de casa um costume de povo pago. As seguintes referncias trazem mais luz sobre este assunto. Leia com ateno: Deuteronmio 12:2-3 / I Reis 14:22-23 / II Reis 17:9-10 / Isaas 57:4-5 / Deuteronmio 16:21 / Osias 4:13.

- Velas

A vela um ritual pago dedicado aos deuses ancestrais; a vela acendida est fazendo renascer o ritual dos solstcios, mantendo vivo o deus sol. Dentro das escolas que estudam o paganismo, as velas so chamadas de demnios; a simbologia de manter os demnios vivos. As velas no tm relao alguma com as luzes do candelabro judaico Menorah. As velas consagradas a demnios so de base perigosa. Estamos nos referindo s velas dos rituais profanos. No devemos generalizar ou cair no fanatismo. Voc no precisa deixar de usar velas, quando necessrio, para alumiar ambientes ou como decorao.

- Guirlandas

So memorial de consagrao. Podem ser entendidas como enfeites, oferendas, ofertas para funerais, celebrao memorial aos deuses, vitalidade do mundo vegetal, celebrao nos esportes, celebrao das vtimas que eram sacrificadas aos deuses pagos. Para tudo isso, serviam as guirlandas. Essas coroas verdes que colocvamos nas portas da nossa casa significam um adorno de chamamento e legalidade de entrada de deuses. Elas ficam nas portas porque so as boas-vindas, lugar de entrada.

So um smbolo relacionado ao deus Apolo, trazem honra a Zeus, homenageiam a Demeter que em latim Ceres, ou seja, Semrames, a me de Tamuz, me e esposa de Ninrode. Era um cerimonial oferecido a Ninrode, Semrames e Tamuz. E onde elas esto? Na porta das casas, das lojas, dos consultrios... Tambm reproduz a ideia da virgem que dar luz um filho e essa virgem se apresenta com a guirlanda na sua cabea e a espiga de milho na sua mo, dando sinal de fertilidade. No Egito, aparece como sis e Osris; na ndia, como Isva e Isvra; na sia, como Cibele e Dionsio; em Roma, como Fortuna e Jpiter; na Grcia, como Irene e Plutos; na Babilnia, como Semrames e Ninrode. Todos eles exigiam as guirlandas.

No h uma s conotao em relao ao nascimento de Jesus. A Bblia nunca anunciou que Jesus pede guirlandas, ou que tenha recebido guirlandas no seu nascimento, porque em Israel j era sabido que fazia parte de um ritual pago. S existe uma guirlanda na Bblia e esta foi feita por Roma, para colocar na cabea de Jesus no dia da Sua morte. No h outra guirlanda, a no ser esta de espinhos, feita como smbolo de escrnio.

Mensagens Anteriores