MENSAGENS


Por que no celebramos Natal

Durante as prximas semanas, estaremos estudando sobre a origem do Natal e o significado dos seus smbolos. Nosso objetivo divulgar o esclarecimento, a luz que recebemos acerca de algumas prticas do meio cristo que esto ainda presas ao paganismo, atitudes que esto inseridas em nossa cultura de tal forma que no questionamos sua origem ou razo de existir, praticando-as sem reflexo alguma.

Estes estudos causaro dois nveis de reao: resistncia ou quebrantamento. Os dois comportamentos so normais. Quero, no entanto, deixar claro que no intencionamos causar celeuma na sua vida, mas ajud-lo a entender melhor essa viso que abraamos e que tem fundamento bblico e histrico.

No queremos negar que Jesus nasceu. bvio que Ele nasceu! Como estaramos na redeno se Ele no tivesse vindo? Queremos, sim, voltar para a base da genuna f crist, da Palavra depurada, retirando tudo que foi inserido por Roma, enquanto instituio religiosa, vivendo como cristo-cristo e no como cristo-pago.

A nossa orao a mesma que a do Apstolo Paulo para com os Efsios; que Deus ilumine os olhos do vosso corao, para que saibais qual seja a esperana da sua vocao. (Efsios 1:18). Isto porque, s vezes, vivemos numa prtica irreflexiva, precisando enxergar alm da realidade palpvel.

Jesus deu este conselho para a Igreja em Laodiceia. Aconselho-te que de mim compres outro refinado no fogo, para que te enriqueas; e vestes brancas, para que te vistas, e no seja manifesta a vergonha da tua nudez; e colrio, a fim de ungires os teus olhos, para que vejas. (Apocalipse 3:18)

Jesus e sempre ser o motivo principal e nico das nossas celebraes. Ele no simplesmente mais um motivo. Tudo o que realizamos e celebramos para a glria de Deus, pois o Senhor no aceita glria dividida. Eu sou o Senhor; este o meu nome; a minha glria, pois, a outrem no a darei, nem o meu louvor s imagens esculpidas. (Isaas 42:8)

Quero fazer-lhe uma pergunta: Jesus o centro do seu propsito? Ento, vamos caminhar na luz que temos recebido do Senhor Jesus, o Cristo, crendo que aquele que comeou a boa obra em ns, h de aperfeio-la at o dia de Cristo Jesus. (Filipenses 1:6).

25 de Dezembro: data oficializada por Roma

O Natal, atualmente comemorado em 25 de Dezembro, uma festa pag e no tem a aprovao de Deus; Jesus no est nesse negcio. Uma festa que nada tem a ver com Jesus, pag. No agradvel ouvir essas coisas, mas precisamos arrancar toda mentira na qual estvamos vivendo. A msica diz: Anoiteceu, o sino gemeu, e a gente ficou feliz a cantar. Papai Noel chegou..., Eu pensei que todo mundo fosse filho de Papai Noel... Mas, ns no somos. Jesus no est a, tal adorao para um santo catlico chamado Nicolau, que Papai Noel. A aceitao quase cem por cento, porque incutiram isso na nossa mente quando ramos crianas. Mas, Deus levantou um povo para desmascarar o inimigo. Deus quer nos ver esclarecidos e em equilbrio espiritual. Todo esse paganismo no um equvoco, uma mentira. Equivocar-se com algo uma coisa, mas conscientemente fazer uma aliana com o inimigo, com a idolatria e com os deuses pagos, no um equvoco; ensinar tudo isso para as naes da terra querer engan-las e prend-las debaixo de um jugo. Roma fez isto. Iludiu as naes da terra pelo mesmo principado que agia desde a Babilnia.

Observando a questo da data, vemos o seguinte quadro: o Natal celebrado em 25 de Dezembro. 25 de Dezembro a data mais comemorada nas naes pags. At o sculo III, o Egito e a Palestina tinham como datas festivas de 25 a 28 de Maro. A Sria comemora Natal dia 6 de Janeiro e alguns pases do Oriente Mdio comemoram o Natal no dia 25 de Maro. Sabe por que Roma celebra no dia 25 de Dezembro? Para que fosse oficializado o Natal cristo. Isso no partiu de um genuno cristo, mas de Roma. A celebrao desse Natal no vem por um decreto bblico, nem de Jesus, nem de seus discpulos.

A histria indica, desde a poca do ano 6 d.C., que Jesus nasceu em Setembro ou comeo de Outubro. Jesus nasceu em Setembro/Outubro e Roma transferiu para Dezembro. Por qu? Porque Constantino, aproximadamente em 336, celebrou o primeiro natal pago casado com os cristos e isto debaixo de imposio, de opresso. Muitos resistiram e morreram durante esse contexto histrico, porque no se submeteram a tamanha aberrao, dizendo que no aceitavam o paganismo. Cristos europeus tambm resistiram e muitos, ao longo da histria, morreram ao fio da espada ou enforcados, e o argumento de Roma era que eles no eram cristos.

Existe uma diferena muito grande entre o cristianismo de Antioquia, onde pela primeira vez os cristos foram chamados de cristos, e o cristianismo romano. O cristianismo romano nada tem a ver com o Jesus de Jerusalm.

Jesus de Roma

Jesus preso numa cruz, impotente, sem nada poder fazer.

Jesus derrotado e morto que caminha pelas ruas carregado por outros.

Jesus numa manjedoura, menino, imaturo, sem voz ativa.

Jesus de Jerusalm

Jesus que subiu e ascendeu aos cus com autoridade.

Jesus vivo que nos carrega ao invs de o carregarmos.

Jesus que nasceu numa manjedoura, foi menino, mas j cresceu, morreu, ressuscitou e em breve voltar como Rei dos reis e Senhor dos senhores.

A Igreja de Jesus protesta o Jesus-menino, porque a Igreja que vive no Natal est presa numa celebrao de nascimento, e no vai poder participar do momento glorioso de preparar o caminho para que Ele venha buscar Sua Igreja. Deus deu o grito aos remanescentes dizendo: preparem o caminho do Senhor! Deus levantou a voc e a mim para que juntos pudssemos permitir a abertura desse caminho. Somos a sua Igreja viva e comprometida.

O Natal uma data depressiva para alguns. Muitos ficam tristes nas celebraes de Natal. No com saudade de Jesus, a opresso de uma mentira sobre o povo de Deus. Mas, se Deus fez uma obra linda de esclarecer o Seu povo, como podemos continuar no paganismo? Sentimo-nos enganados e trados. Ns fomos designados para viver uma vida de liberdade e Roma trabalhou para nos manter presos a uma tradio. O dia 25 de Dezembro foi designado por Roma numa aliana pag no sculo IV. A primeira inteno era cristianizar o paganismo e paganizar o cristianismo, ou seja, fazer uma aliana. O cristo recebe um pouco do pago e o pago recebe um pouco do cristo. Mas, no h comunho entre trevas e luz. E o que Deus disse, ningum muda.

Reflita nisso durante esta semana e, na prxima, voc se surpreender com as verdades que ainda aprender.

Apstolo Ren Terra Nova

Mensagens Anteriores